Não estarei já a servir bem os agricultores e agricultoras?

Durante dezenas de anos, as emissões radiofónicas foram úteis sobretudo para os agricultores. Os animadores de rádio de sexo masculino entrevistavam especialistas e agricultores masculi- nos acerca das culturas e gado que homens produziam e criavam.

Hoje sabemos que as mulheres trabalham tanto na agricultura como os homens nas explorações familiares. São elas também que alimentam a sua família e tratam das crianças!

Por isso, as mulheres têm um papel essencial no que trata da sobrevivência e do desenvolvi- mento das quintas familiares. Torna-se portanto indispensável que as emissões radiofónicas também sejam adaptadas às necessidades e sirvam os interesses das mulheres como dos homens.

Pense nisso. Será que serve mesmo as agricultoras? Consulte os conselhos abaixo para saber quais é que já aplica. E depois meta em prática todos os que conseguir!

Em que é que este guia vai-me ajudar a servir melhor o meu público?

  • As agricultoras vão obter as informações que precisam para cultivar melhor.
  • As agricultoras vão ser capazes de falar sobre assuntos e temas que lhes são importantes.
  • As agricultores vão gostar ainda mais da sua emissão.
  • Os ouvintes de sexo masculinos saberão melhor o que interessa as agricultoras, e poderão ter isso em conta de futuro.

Como é que este guia me ajuda a realizar e animar melhores emissões?

  • Dá-me conselhos práticos sobre como atrair e servir as agricultoras que me ouvem e aumentar o número de ouvintes de sexo feminino.
  • Dá-me sugestões de sobre maneiras para promover a igualdade de género na minha estação de rádio.

Por onde devo começar?

  1. Acorde às agricultoras o respeito que merecem.
  2. Pesquise os temas que interessam às mulheres e fale sobre eles.
  3. Divulgue a sua emissão a uma hora a que possam escutá-la.
  4. Incentive as agricultoras a exprimir-se no ar.
  5. Assegure-se que a sua estação é sensível ao género.

Detalhes

1. Acorde às agricultoras o respeito que merecem.

Como mencionado acima, as mulheres fazem grande parte do trabalho nas explorações agrícolas familiares. Além disso, fazem-no enquanto tratam dos bebés, crianças e adolescentes. O seu trabalho é indispensável ao bom funcionamento de uma exploração familiar. Em tudo o que faz, seja a realização, entrevistas ou animação, assegure-se que respeita as mulheres que trabalham, tomam decisões impor- tantes sobre a saúde e bem-estar das suas famílias, e que muitas vezes acabam limitadas e prejudicadas por clichés negativos e restritivos. Para terminar, assegure-se que aprecia como deve ser as contribuições dos homens e das mulheres nos seus meios socioeconómicos e no seio das suas comunidades e famílias.

Por exemplo:

  • Fale das mulheres como agricultoras, e não como mulheres de agricultores.
  • Dirija-se a elas pelos seus nomes, pois trata-se de pessoas.
  • Pergunte-lhes a sua opinião sobre questões agrícolas importantes. Será surpreendido com os seus conhecimentos.
  • Saliente os casos de sucesso que ilustrem os vários papéis ligados ao género, por exemplo: casos em que mulheres conseguem produzir culturas comerciais com suces- so, ou quando homens se implicam na tomada de decisões sobre o bem-estar das suas famílias.

2. Pesquise os temas que interessam às mulheres e fale sobre eles

Acredita-se geralmente que a agricultura é antes de tudo uma responsabilidade pesada que cai principalmente sobre os ombros dos homens, que as mulheres se ficam pelas hortas. No entanto, as mulheres inter- essam-se e participam nas atividades ligadas à produção agrícola, que influenciam a saúde das suas famílias, como a qualidade e a quantidade das colheitas. Querem saber por exemplo:

  • como melhorar a qualidade do solo
  • quando devem vender uma vaca
  • como melhorar a qualidade dos nutrientes necessários ao desenvolvimento das cultur- as
  • como fazer empréstimos seguros para aumentar a superfície das suas plantações
  • como guardar economizar as suas reservas até precisar delas para as necessidades da sua família

Vá a uma aldeia e organize um encontro com as mulheres locais. Pergunte-lhes quais são para elas as maiores dificuldades que encontram no trabalho agrícola. Apresente-lhes alguns dos temas mencionados acima, para que não tenham de pensar só em temas associados à ‘jardina- gem. Escute-as com atenção, e mostre-lhes o que retirou como prioritário para elas. Depois, de volta à estação, pense em como pode abordar esses mesmos temas no ar.

3. Divulgue a sua emissão a uma hora a que possam escutá-la.

Pode até fazer as melhores e mais úteis emissões para agricultoras, mas se as divulgar a uma hora que estas não as possam ouvir, é tudo em vão! Quando for a aldeias falar com mulheres, tente perguntar-lhes a que horas conseguem estar a ouvir a rádio. Faça a mesma pergunta aos homens. Se ambas coincidirem, pode divulgar uma emissão útil para ambos os sexos. No entanto, se as mulheres não conseguirem, deve divulgar a sua emissão duas vezes por semana, para que tanto os agri- cultores como as agricultoras consigam aceder-lhe. Claro, se a sua emissão tiver uma faixa de atendimento telefónico isto será mais complicado. Nesse caso, terá de inserir uma faixa telefónica em direto no fórum telefónico da emissão retransmitida. Ou então, pode ter duas emissões diferentes durante a semana, uma direcionada para as mulheres e outra para os homens.

4. Incentive as agricultoras a exprimir-se no ar

Em várias culturas, as mulheres são reser- vadas e deixam antes os homens falar em seu nome, em nome das suas mulheres e famílias. Mas os tempos mudaram. As mulheres têm o direito de falar por si próprias. As comunidades só têm a ganhar em segurança e saúde, e em produtividade se as vozes das mulheres forem ouvidas e beneficiassem da mesma atenção que dão às dos homens nas discussões sobre assuntos importantes. Tente perceber onde se sentem mais confortáveis a falar, se em casa ou no campo, ou junto de um grupo de amigas, e visite-as no ambiente que escolherem. Este guia pode ensiná-lo várias coisas que pode fazer para incentivar as mulheres a falar no ar, tais como:

  • como reconhecer quais as mulheres que se sentem mais à vontade para falarem no ar
  • como entrevistar mulheres em grupo
  • como permitir uma mulher se exprimir anonimamente em circunstâncias particulares

5. Assegure-se que a sua estação é sensível ao género

Há várias maneiras de uma ouvinte poder saber se a sua estação de rádio é sensível ao género. Consulte a lista de perguntas seguinte:

  • Convida mulheres à estação a uma hora em que possa viajar em segurança?
  • Tem casa de banho para mulheres?
  • Na sua estação, as mulheres e os homens são tratados da mesma maneira e com o mesmo respeito?
  • Os ouvintes e as ouvintes ouvem as emissoras mulheres falar dos mesmos assuntos que os emissores homens? (Geralmente, as estações de rádio não têm uma boa reputa- ção no que toca dar importância às mulheres animadoras de emissão.)
  • A sua estação tem uma política de igualdade de género, e esta é seguida e posta em prática e promovida a todos os níveis?

Outras maneiras de servir as suas ouvintes de maneira certa

Proponha um fórum telefónico só para as mulheres.

Habitualmente, as mulheres têm menos aos telefones que os homens. Portanto, se os homens têm 90 % dos celulares, 90 % das chamadas que receber para um fórum telefónico serão vindas de homens. No entanto, se mantiver uma linha separada só para mulheres, pode alternar entra uma e outra, e 50 % das pessoas no ar serão mulheres!

Mesmo que isso implique um custo maior, e mais controlo para se assegurar que a linha reservada às mulheres é utilizada apenas por mulheres, é uma solução eficaz para trazer mulheres a falar e sentir que as suas opiniões e pontos de vista são importantes.

Vá ao encontro das agricultoras

Encontre um meio de transporte que o permita ir ás comunidades agrícolas. Anuncie a sua visita na rádio para ter uma participação elevada. Se for um homem, peça a uma colega mulher que o acompanhe. Isto pode ajudar certas agricultoras a sentir-se mais confortáveis e dispostas a falar.

Procure as mulheres que se sentem mais à vontade para falarem no ar.

Quando encontra uma mulher confortável a falar em antena, com opiniões e pontos de vista importantes, guarde o seu número de telefone e ligue-lhe quando precisar de mais uma voz, isto irá incentivar outras mulheres a participar na discussão.

Entreviste as mulheres em grupo.

Se entrevistar uma mulher sozinha, esta pode se sentir intimidada, pois o especialista é você. No entanto, se entrevistar um grupo de mulheres, a dinâmica muda! As mulheres sentem a sua "força nos números". Depois de ouvir o comentário de uma, outra sentirá conforto para aprofundar o tema, e tornar a conversa mais interessante. Uma terceira vai então sentir que pode explorar o que já foi dito, e continuar sobre o tema.

Ofereça um telefone às mulheres das regiões mais isoladas.

Em certas aldeias, nenhuma das mulheres tem acesso a telefones. Se tiver os meios, ofereça a uma das mulheres um telefone que todas puderam utilizar para ligar para a estação.

Mostre a vida e a experiência das agricultoras.

Todos gostamos de ouvir falar de quem tem uma vida e uma história parecida com a nossa, saber como ultrapassaram obstáculos, o que as alegra, o que as artista. Interrogue as agricultoras e deixe-as contar as suas histórias no ar. Isso irá reconfortar outras mulheres com as mesmas dificul- dades.

Contacte as associações femininas.Utilize os mesmo termos agrícolas que as mulheres.

Em algumas regiões, as mul- heres utilizam termos particulares para descrever certas culturas e práticas agrícolas. Os emissores, especialistas e até mesmo agricultores nem sempre os conhecem! Utilize os termos que as mulheres conhecem e compreendem.

Permita uma mulher se exprimir anonimamente em circunstâncias particulares.

Se uma mulher for maltratar ou tratada de forma injusta no seu local de trabalho ou em casa, mas tem medo de sofrer represálias se contar a sua história ou revelar a sua iden- tidade, ajude a contar a sua história aos seus ouvintes. A partir do momento que você conhece o seu nome, e está convencido da sua honestidade, não é obrigado a divulgar o seu nome, ou qualquer outra informação que possa fazer perceber a sua identidade.

Pode também mascarar a sua voz acelerando ou abrandando-a no computador. Pode também contar a sua história sem dizer o seu nome. Ao contar a sua história, pode ajudar muitas outras mulheres em situações similares. Isto pode ser-lhes útil e permitir-lhe começar a discutir problemas mais graves na sua emissão. Não esqueça que é igualmente importante mascarar a sua voz como não divulgar o seu nome, e também divulgar informações que possam identificá-la.

As agricultoras também são especialistas!

Algumas conhecem tanto ou mais sobre cultivo e produção na sua região como os especialistas da estação agrícola. Entrev- iste-as no ar. As informações que elas lhe darão serão úteis para todos os agricultores e o seu exemplo ajudará outras mulheres a realizar que também são importantes para o avanço da agricultura.

Mude a sua maneira de entrevistar especialistas e agricultores de sexo masculi- no.

Se um especialista explicar como a vacina de uma vaca pode ser vantajosa para um agricultor, pergunte-lhe me que é que pode ser vantajoso também para uma agri- cultora e a sua família. Tente também saber se esse serviço de vacinação é tão acessível às mulheres como aos homens.

Não fale às mulheres só dos seus produtos hortícolas.

É verdade que são mulheres que fazem quase todo o trabalho hortícola. No entanto, interessam-se por outras áreas da agricultura, e em todas as que ocupam a sua família. Vão também ter o seu ponto a dar quando falar do momento ideal para vender uma vaca ou um produto, as melhores maneiras de enriquecer o solo ou decidir se compensa pedir dinheiro emprestado para comprar insumos.

Ensine as mulheres a usar o telemóvel.

Algumas mulheres nunca tiveram a opor- tunidade de aprender a contar na escola. Mesmo que tenham acesso a um telemóvel, não sabem compor os números. Prepare um auxiliar de memória simples que as ajude a aprender os números na sua língua. Faça um teste com cada mulher para saber de fato lhes facilita a vida. Se for o caso, divulgue regularmente esse auxiliar de memória.

Aqui está um modelo de auxiliar de memória que pode traduzir para fazer um poema. Consegue também fazer outro e melhor. Talvez o seu operador telefónico móvel já tenha um auxiliar de memória que possa usar. Divulgue esse auxiliar de memória durante as pausas toda a semana. Pergunte às mulheres se foi útil.

Com o seu telemóvel celular
Com o mundo inteiro podem falar Só precisa de saber
Em que teclas carregar
Aqui estão, da esquerda para a direita

linha de cima : 1, 2, 3
linha seguinte : 4, 5, 6
terceira linha : 7, 8, 9
última linha : asterisco, 0, cardinal

Divirta-se no ar!

Relembramos que as emissões que são tão divertidas como infor- mativas vão ser as mais benéficas aos ouvintes. Encontre uma maneira de inserir cantos tradicionais e modernos na sua emissão: isso irá atrair tanto homens como mulheres.

Celebre os sucessos.

Todos os dias, agricultores ultrapassam obstáculos e obtém resultados extraordinários nos seus trabalhos agrícolas, informe-se destas vitórias e celebre-as no ar.

Onde posso encontrar mais informações sobre servir melhor as agricultoras no ar?

Adamou Mahamane, Fatouma Déla Sidi, et Alice Van der Elstraeten. 2014. Guia de metodologia para a produção de emissões de rádio que tenham o género em conta http://www.fao.org/3/a-aq230f.pdf

Definições

Equidade entre os sexos: a equidade entre os sexos significa que as mulheres e os homens beneficiam de um tratamento evitável, isto respeitando as suas diferenças. Isto implica que medidas específicas sejam adoptadas para compensar os desequilíbrios existentes entre homens e mulheres, por exemplo: utilizar uma linha telefónica distinta para garantir que tanto mulheres como homens são ouvidos na rádio, ou modificar a hora de um encontro ou formação para permitir a homens e mulheres assistir.

Igualdade de género: a igualdade de género significa que os direitos, oportunidades e chanc- es não são restritos e não são alvo de discriminação baseada no sexo. A igualdade de sexos consiste em assegurar-se de que as opiniões, interesses, necessidades, e prioridades de homens e mulheres têm a mesma importância, e são tomados em consideração na definição de tarefas, responsabilidades e tomadas de decisões para a vida e o trabalho dos homens e das mulheres. Por exemplo: as mulheres e os homens devem ter os mesmos direitos e vantagens no que toca a acesso a emprego, formação, promoção, condições de trabalho e salário. A igualdade de género é muito influenciada e está ligada a outras estruturas sociais como a classe, etnia, ou orientação sexual, e pelos esforços pelo progresso nestas áreas.

"Abordagem" sensível ao género: ser sensível ao género significa tomar medidas que permi- tam corrigir problemas e preconceitos sexistas e discriminatórios para garantir a igualdade de géneros e equidade entre sexos. Isto significa que os aspectos importantes ligados ao género vão orientar a maneira como as emissões são concebidas, as necessidades e interesses respec- tivos dos homens e das mulheres são tidos em conta, que os estereótipos são denunciados, e a igualdade de género valorizada.

Agradecimentos

Redação: Doug Ward, com a contribuição de Caroline Montpetit, Sylvie Harrison, e Vijay Cuddeford

Projeto realizado com o apoio financeiro do governo do Canada por meio dos Negócios Mundiais Canada.

Translated with funding from USAID.
USAID Washington Development objective: to support the New Alliance ICT Extension Challenge Fund through the implementation of affordable, scalable, and diverse ICT extension services.
AID-OAA-A-16-00003